top of page

Lucro líquido da Suzano cai 39% para R$ 4,51 bilhões no quarto trimestre de 2023

De outubro a dezembro, a receita líquida da companhia chegou a R$ 10,37 bilhões, queda de 28% na comparação anual, embora 16% acima do registrado nos três meses anteriores. A Suzano reportou queda de 28% na receita líquida no quarto trimestre de 2023 na comparação ano a ano, embora com alta de 16% ante o trimestre imediatamente anterior, somando R$ 10,37 bilhões. O lucro líquido da companhia, por sua vez, teve queda de 39%, totalizando R$ 4,52 bilhões frente aos R$ 7,46 bilhões obtidos no ano anterior. O resultado é reflexo dos preços mais baixos da celulose.



07/03/2024 - A Suzano reportou queda de 28% na receita líquida no quarto trimestre de 2023 na comparação ano a ano, embora com alta de 16% ante o trimestre imediatamente anterior, somando R$ 10,37 bilhões.


O lucro líquido da companhia, por sua vez, teve queda de 39%, totalizando R$ 4,52 bilhões frente aos R$ 7,46 bilhões obtidos no ano anterior. O resultado é reflexo dos preços mais baixos da celulose – ainda que haja uma recuperação desde o ano passado – e volume de venda estáveis da commodity.


O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado teve queda de 45%, para R$ 4,51 bilhões, com margem Ebitda de 43%, uma redução de 13 pontos percentuais em um ano. A geração de caixa operacional foi de R$ 2,78 bilhões, queda de 57%.


De outubro a dezembro de 2023, os volumes de vendas da Suzano atingiram 3,15 milhões de toneladas, sendo 2,76 milhões de toneladas de celulose e 386 mil toneladas de papéis, alta de 2% na comparação com o mesmo período do ano anterior.


No acumulado de 2023, o lucro líquido da Suzano chegou a R$ 14,1 bilhões, ante os R$ 23,4 bilhões registrados em 2022. A receita líquida da companhia também caiu 20%, alcançando R$ 39,76 bilhões e o Ebitda ajustado teve queda de 35%, para R$ 18,27 bilhões.


ESTIMATIVA OPERACIONAL DE CELULOSE

Considerando uma atualização monetária para 2024, variação dos índices de inflação, variação cambial, atualizações de custos operacionais e iniciativas de gestão nas novas estimativas, a Suzano elevou sua estimativa operacional para o negócio de celulose, de R$ 1.750 para R$ 1.753 por tonelada até 2027.


Dessa forma, o custo caixa de produção de celulose deve ficar em R$ 685 por tonelada – a projeção anterior era de R$ 708 por tonelada. Os custos e despesas logísticas, com vendas e administrativas, por sua vez, devem ficar em R$ 584 por tonelada, ante os R$ 573 por tonelada previstos anteriormente.


Já os investimentos em manutenção devem ser de R$ 484 por tonelada, contra os R$ 470 por tonelada anteriores.


Fonte: Portal Celulose

Comentários


bottom of page