top of page

Indústria vê recuperação das condições atuais em maio, mas expectativas se retraem

Pela primeira vez, desde setembro de 2022, a avaliação das condições atuais em relação ao mês anterior é menos negativa. A confiança avançou entre as grandes empresas, no Nordeste e Centro-Oeste. Pela primeira vez, desde setembro de 2022, a avaliação das condições atuais em relação ao mês anterior é menos negativa. A confiança avançou entre as grandes empresas, no Nordeste e Centro-Oeste.



23/05/2023 - O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) – resultados setoriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), ficou estável em um setor, subiu em 12 setores e caiu em outros 16 setores, na passagem de abril para maio de 2023. A queda ocorreu devido à piora das expectativas para os próximos seis meses. Foram ouvidas 1.987 empresas, sendo 775 de pequeno porte, 741 de médio porte e 471 de grande porte, entre 2 e 10 de maio.


Confira a análise do economista da CNI Marcelo Azevedo


Dos 29 setores avaliados pela CNI, Metalurgia, Biocombustíveis e Construção de edifícios fizeram a transição de um estado de falta de confiança para um estado de confiança. E Alimentos e Têxteis passaram da confiança para a falta de confiança. Diante desses movimentos, o ICEI de maio mostra que 11 setores estão confiantes e 18 estão com falta de confiança.


O gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, avalia que, pela primeira vez, desde setembro de 2022, há uma melhora na avaliação das condições atuais frente ao mês anterior na maioria das segmentações da indústria. “Essa avaliação menos negativa ajudou a elevar a confiança de algumas segmentações da indústria. A confiança avançou nas grandes empresas, nas regiões Nordeste e Centro-Oeste e na indústria da construção como um todo”, explica.


Fonte: CNI

Comentários


bottom of page