Programa ‘Fala Caminhoneiro’ promove diálogo da Paraibuna Embalagens com motoristas

Primeiro encontro em Juiz de Fora aconteceu na última semana. Em Sapucaia, a iniciativa completou dois meses. A Paraibuna Embalagens deu o pontapé inicial ao Programa “Fala Caminhoneiro” na unidade de Juiz de Fora. A iniciativa promove encontros periódicos com os motoristas/transportadoras, que levam os produtos da empresa até os seus clientes, com o intuito de estabelecer uma ponte de diálogo com os caminhoneiros parceiros para atender de maneira ainda mais eficiente os clientes da empresa. A ação já é realizada há dois meses na unidade de Sapucaia e garante mais qualidade nos serviços prestados.



07/06/2022 - A Paraibuna Embalagens deu o pontapé inicial ao Programa “Fala Caminhoneiro” na unidade de Juiz de Fora. A iniciativa promove encontros periódicos com os motoristas/transportadoras, que levam os produtos da empresa até os seus clientes, com o intuito de estabelecer uma ponte de diálogo com os caminhoneiros parceiros para atender de maneira ainda mais eficiente os clientes da empresa. A ação já é realizada há dois meses na unidade de Sapucaia e garante mais qualidade nos serviços prestados.


A reunião na unidade de Juiz de Fora iniciou com um material desenvolvido exclusivamente para os caminhoneiros. Foram passadas diversas orientações no que tange a segurança no trabalho, manutenção preventiva, segurança da carga e etc. Os assuntos abordados envolveram desde o procedimento de coleta das cargas na sede da

Paraibuna Embalagens até a chegada ao local solicitado pelo cliente.


“A ideia surgiu para nós abrirmos um canal de comunicação com os motoristas, entendendo que o caminhoneiro é parte essencial do trabalho feito pela Paraibuna Embalagens”, explica o gerente de logística corporativo, Jorge Mendes. “A ideia foi passar para os caminhoneiros qual é a estratégia da Paraibuna e mostrar que nós os consideramos como uma peça fundamental para a manutenção do nosso relacionamentos com os clientes“, resume.


Além de demonstrar aos motoristas quais são as exigências da empresa na realização do transporte de cargas, também foi aberta a possibilidade de apresentação de demandas dos caminhoneiros para a Paraibuna Embalagens. A conversação tem a finalidade de compreender quais são as necessidades dos condutores e proporcionar também a melhoria da estrutura fornecida pela empresa aos motoristas parceiros. “No passado, fazíamos essa reunião de forma esporádica”, conta o coordenador de logística da unidade de Juiz de Fora, Glauber Luiz. “Os motoristas precisam estar preparados para atender aos nossos clientes. É importante estarmos todos na mesma página e esse encontro foi importante para isso”, avalia.


Satisfação pelo diálogo

Caminhoneira que colabora com a Paraibuna Embalagens há um ano, Marília Breçan afirma nunca ter visto uma iniciativa dedicada a ouvir os motoristas. “Eu nunca havia participado de uma reunião que envolvesse o caminhoneiro por uma empresa que se importe com a opinião do motorista, em matéria de estrutura e da nossa acomodação.


Achei muito interessante a forma como foram expostas as medidas que vão ser feitas para melhor acomodação do caminhoneiro”. Durante a conversa, foram mostradas as propostas de melhoria no recebimento dos motoristas.


A iniciativa também foi comemorada pelo caminhoneiro Pedro Martins, que lembrou a importância de deixar aberto o canal de comunicação dos motoristas com a Paraibuna Embalagens. “Muitas pessoas têm o que comentar e essa reunião abre um espaço para podermos conversar com a empresa. Nós esperamos que continue tendo esse diálogo, que é muito importante”.


Programa gera melhorias em Sapucaia

Se em Juiz de Fora o programa dá os primeiros passos, na unidade de Sapucaia o “Fala Caminhoneiro” já é sinônimo de sucesso. Desde que foi implementado, há dois meses, os números de problemas registrados durante as entregas de mercadorias, dados que vêm em ordem decrescente desde então.


“O bate papo surgiu da necessidade de esclarecermos nossas necessidades para um bom atendimento aos clientes e entender e buscar soluções para as ‘dores’ que os motoristas enfrentam em nossas operações”, explica o coordenador de logística da unidade de Sapucaia, Lourenço Hildebrando da Silva Filho. “Falamos sobre situações comportamentais, conferência de documentação, segurança da carga e principalmente da segurança do motorista”, completa.


Como lembra Lourenço, para a Paraibuna Embalagens, a segurança é um bem inegociável, além do compromisso com os clientes. Além disso, ter diálogo contínuo com os transportadores mostra a preocupação da empresa com os parceiros. “O relato de alguns, que já estão na estrada há muitos anos, é que a Paraibuna é uma empresa diferente, que quer ter um contato próximo com eles, ouvi-los e valorizá-los. Acreditamos que todos devem ter empatia a esses profissionais”.




Fonte/fotos: Paraibuna Embalagens