Presidente da FIEMG ressalta força dos sindicatos, no 'Encontro de coordenadores 2022'

Flávio Roscoe fala sobre importância da Gestão do Tempo em Produtividade, em evento focado no desenvolvimento pessoal.Não existe FIEMG forte com sindicatos fracos, e nosso trabalho é de valorização dessas entidades. Boa parte dos empresários não sabem a importância do associativismo, mas esse quadro pode ser revertido, principalmente, por vocês, que são os executivos sindicais”, afirmou Flávio Roscoe, presidente da Federação mineira, no Encontro de Coordenadores 2022, encerrado nesta sexta-feira (1°). Promovido pela gerência de Desenvolvimento Sindical da FIEMG (DS), o evento durou dois dias, na sede da entidade, em Belo Horizonte.


Fotos Sebastião Jacinto Júnior


05/04/2022 - “Não existe FIEMG forte com sindicatos fracos, e nosso trabalho é de valorização dessas entidades. Boa parte dos empresários não sabem a importância do associativismo, mas esse quadro pode ser revertido, principalmente, por vocês, que são os executivos sindicais”, afirmou Flávio Roscoe, presidente da Federação mineira, no Encontro de Coordenadores 2022, encerrado nesta sexta-feira (1°). Promovido pela gerência de Desenvolvimento Sindical da FIEMG (DS), o evento durou dois dias, na sede da entidade, em Belo Horizonte.


O líder empresarial abordou o tema Gestão do Tempo e Produtividade e ressaltou que o ativo mais valioso que temos é o tempo. Segundo Roscoe, com ele, temos tudo: saúde, bons relacionamentos familiares e equilíbrio emocional. “Tudo na vida depende do tempo. Até mesmo o nosso trabalho”, disse. “Trocamos horas de nosso tempo por salário, mas o tempo é finito. Se o tempo não muda, é a nossa postura que precisa mudar. É necessário sermos mais eficientes com a gestão de nosso tempo”, reforçou. “Liste as prioridades em sua vida. Se pergunte quais são as suas necessidades, concilie atividades. Boa parte de nosso tempo é gasto de maneira ineficiente, tanto na área profissional quanto pessoal”, alertou Roscoe.



Fortalecimento do associativismo - “Os executivos dos sindicatos são os responsáveis pelas ações e desenvolvimento das entidades”, afirmou Laila Katina, assessora de Desenvolvimento Sindical, explicando que os presidentes são industriais e que precisam se dedicar a outras tarefas. “Quem faz as operações são os coordenadores, que precisam ser treinados, estimulados e motivados. Esse é o objetivo deste evento, desenvolver esses profissionais, para que possam levar para dentro dos sindicatos o conhecimento adquirido, revertendo-o em crescimento e fortalecimento das instituições”, ressaltou Katina.


A programação do encontro contou com diversas palestras, muitas voltadas para o autodesenvolvimento dos executivos, como “Um mergulho em si mesmo - conhecendo o seu melhor”, “O poder da imagem pessoal” e “Autodesenvolvimento, propósito e realização”. “A ideia é que eles entendam que não precisam de nada de fora para que sintam-se estimulados a fazer acontecer dentro dos sindicatos”, falou a assessora da DS.


Natália Rodrigues Bastos, coordenadora do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Juiz de Fora (Sindvest), foi uma das participantes do Encontro de Coordenadores de 2022 e aprova a iniciativa. “É o primeiro de que participo e estou achando tudo muito interessante. É um momento em que percebo que não estou sozinha e que tenho o suporte e apoio da DS e dos demais coordenadores”, afirmou Bastos, pontuando que gostou demais de as mesas das atividades serem divididas, pois forçou a interação entre os participantes. “Troquei muitas ideias com executivos de outras regionais e vou aplicá-las na Zona da Mata”, disse.


Desenvolvimento Sindical - Cristiano Lamego, gerente da DS, explicou que a missão da área é trazer soluções que vão contribuir para o fortalecimento dos sindicatos. “Desenvolvemos projetos e programas que ajudam os sindicatos a enxergarem quais são as necessidades específicas de seus setores e como transformá-las em ações”, afirma.


“Dessa maneira, eles se tornam mais representativos e sustentáveis do ponto de vista financeiro", disse, lembrando que a principal missão dos sindicatos é a representatividade, mas que, para isso, é necessário entender quais são as demandas de seu setor. “Nesse sentido, a DS tem ferramentas como o programa Sindicatos Sustentáveis, cuja missão é auxiliar os sindicatos a captar novos associados e fidelizar os demais”, esclareceu Lamego.


Novidades para os sindicatos - Durante o encontro, foi lançado o Sistema de Enquadramento e Gestão Sindical (Higestor), software apresentado por Hiderson Cassimiro, sócio da empresa HiGestor e co-fundador da Escola Weduc. “O HiGestor oferece gestão 100% on-line e pode ser acessado de qualquer dispositivo”, explicou, pontuando que não é toda federação que proporciona esse tipo de ação para seus sindicatos.


Entre as vantagens do software, Cassimiro citou sua integração com os sites das entidades, acesso a cursos e capacitações, mobilidade e o portal do associado, que é “simples e fácil de se utilizar”. O HiGestor será implementado em abril deste ano.


Outro lançamento foi o projeto Sindicato Sustentável, que tem a intenção de preparar os sindicatos empresariais para a conquista de novos associados. A iniciativa foi apresentada por Vicente Sevilha, que tem em sua bagagem profissional atuações em todas as federações do país e em diversos sindicatos.


Foto: FIEMG