top of page

Confiança dos industriais mineiros é menos intensa em maio

É o que aponta o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) da FIEMG. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 1,6 ponto frente a abril (52,2 pontos) e marcou 50,6 pontos em maio. O indicador mostrou confiança dos empresários pelo quarto mês consecutivo, contudo, aproximou-se dos 50 pontos – limite entre falta de confiança e confiança. Vale destacar que, apesar da resiliência no campo positivo, o índice de confiança vem caminhando próximo à fronteira dos 50 pontos desde o início do ano, em um contexto macroeconômico de desaceleração e com alto grau de incertezas.


8/05/2023 - O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 1,6 ponto frente a abril (52,2 pontos) e marcou 50,6 pontos em maio. O indicador mostrou confiança dos empresários pelo quarto mês consecutivo, contudo,


aproximou-se dos 50 pontos – limite entre falta de confiança e confiança. Vale destacar que, apesar da resiliência no campo positivo, o índice de confiança vem caminhando próximo à fronteira dos 50 pontos desde o início do ano, em um contexto macroeconômico de desaceleração e com alto grau de incertezas.


O ICEI reduziu 6 pontos em relação a maio de 2022 (56,6 pontos), sendo o menor para o mês em três anos, e ficou 2,2 pontos abaixo da sua média histórica (52,8 pontos). O ICEI nacional registrou elevação de 0,4 ponto em maio (49,2 pontos), frente a abril (48,8 pontos), e continuou mostrando falta de confiança dos empresários brasileiros. O ICEI resulta da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, que variam de 0 a 100 pontos.


Valores acima de 50 pontos indicam percepção de situação atual melhor e expectativa positiva para os próximos seis meses, respectivamente.


O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) é uma realização da gerência de Economia e Finanças Empresariais da FIEMG. A amostra foi feita com 73 grandes empresas, 66 médias e 68 pequenas empresas no período de 2 a 10 de maio de 2023.



Por gerência de Economia e Finanças Empresariais da FIEMG


Fonte: FIEMG

Kommentarer


bottom of page