top of page

Aumento da produção de celulose gera incertezas no mercado global

Com a expansão da Arauco e uma nova fábrica da UPM mais de 3,5 milhões de toneladas de celulose de fibra curta serão adicionadas anualmente no mercado global. Os preços globais da celulose de fibra curta caíram bastante nos primeiros três meses do ano e chegaram ao piso de cerca de US$ 450 por tonelada na China. No entanto, os preços da commodity voltaram a subir em maio, quando a Suzano, maior produtora de celulose do mundo, seguida por outros fabricantes, anunciaram o primeiro reajuste de 2023 nos mercados asiáticos.



27/06/2023 - Os preços globais da celulose de fibra curta caíram bastante nos primeiros três meses do ano e chegaram ao piso de cerca de US$ 450 por tonelada na China. No entanto, os preços da commodity voltaram a subir em maio, quando a Suzano, maior produtora de celulose do mundo, seguida por outros fabricantes, anunciaram o primeiro reajuste de 2023 nos mercados asiáticos.


Até a última semana, a celulose de fibra curta comercializada na China era vendida por US$ 507,70 a tonelada, registrando alta de US$ 1,70 em uma semana e de US$ 32,70 em um mês, o que confirma a implementação do aumento de US$ 30 por tonelada anunciado anteriormente. Já o preço negociado pela celulose de fibra curta importada apresentava uma valorização de US$ US$ 494,34 por tonelada, enquanto os preços na revenda chinesa recuaram US$ 12,34 por tonelada.


Recentemente, foi anunciado um novo reajuste de US$ 30 por tonelada de celulose de fibra curta na Ásia, para os pedidos realizados a partir de julho. Porém, os analistas da indústria de celulose demonstram cautela quanto ao curto prazo, devido ao aumento na oferta do produto e baixa demanda nos principais mercados.


Dentro desse contexto, no intervalo entre um aumento e outro, a Suzano ainda informou que deve reduzir o volume de produção da celulose de mercado em 4% ao longo de 2023, em relação à capacidade nominal e aos volumes históricos registrados pela companhia.


“Essa decisão se baseia no fato que tal volume não traria retorno adequado à companhia em um momento de mercado de celulose mais complexo”, afirmou a empresa em comunicado.


Segundo analistas, além dos preços em baixos patamares, a expectativa de aumento no volume da oferta de celulose que deve ocorrer no segundo semestre pode ter motivado a companhia a tomar essa decisão.


Somente com os projetos de construção da nova fábrica de celulose da UPM e de expansão da Arauco, serão adicionadas ao mercado global de celulose mais de 3,5 milhões de toneladas de celulose de fibra curta por ano.


A Arauco concluiu a primeira produção de celulose do Projeto Mapa, em janeiro deste ano, e deve aumentar a capacidade de produção em mais de 1,56 milhão de toneladas anuais. A UPM inaugurou, no início de junho, a sua fábrica de celulose Paso de los Toros, no Uruguai. A nova planta tem capacidade de produção anual de 2,1 milhões de toneladas de celulose de eucalipto. A demanda global, por sua vez, deve crescer entre 1 milhão e 1,5 milhão de toneladas por ano.


Para o segundo semestre de 2023, é esperado um impacto significativo no mercado de celulose devido à ocupação progressiva das novas linhas de produção, já que isso pode causar uma oferta muito maior do que a demanda. Na Europa, os preços da celulose de fibra curta seguem em correção no mercado e chegaram a US$ 960,72 por tonelada na última semana.


Fonte: Portal Celulose


Opmerkingen


bottom of page