top of page

Atividade industrial desacelera em novembro, aponta CNI

Os dados da Sondagem apontam para queda das contratações de trabalhadores pela indústria, expectativas pessimistas em relação a novos empregos e recuo na intenção de investimentos. A Sondagem Industrial de novembro, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a política de alta dos juros, para conter a inflação, cobra seu preço: a perda de dinamismo da atividade industrial, com impacto negativo no emprego e nas expectativas dos empresários. A CNI entrevistou 1.684 empresários entre 1º e 10 de dezembro.

Foto: CNI


Os dados da Sondagem apontam para queda das contratações de trabalhadores pela indústria, expectativas pessimistas em relação a novos empregos e recuo na intenção de investimentos.


15/12/2022 - A Sondagem Industrial de novembro, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a política de alta dos juros, para conter a inflação, cobra seu preço: a perda de dinamismo da atividade industrial, com impacto negativo no emprego e nas expectativas dos empresários. A CNI entrevistou 1.684 empresários entre 1º e 10 de dezembro.


O índice de produção industrial ficou em 48,7 pontos em novembro, um aumento de 0,2 ponto com relação ao mês de outubro. O leve aumento no índice foi insuficiente para alterar o quadro de queda na produção industrial, que está abaixo da linha divisória de 50 pontos desde setembro.


O emprego industrial também caiu em novembro de 2022. O índice de emprego recuou 0,6 ponto na comparação com outubro e encerrou o mês em 49 pontos, o que denota queda mais disseminada do emprego industrial. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) permaneceu em 71% e encontra-se abaixo do patamar praticado nos meses de novembro dos últimos dois anos.


De acordo com o gerente de Análise da Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, a Sondagem Industrial confirma o que se esperava para o fim de 2022, principalmente diante da política monetária mais contracionista.


“A indústria apresentou bons resultados até o meio do ano, mas os efeitos da alta dos juros foram se acumulando, se tornando bastante intensos. A atividade do setor está mais fraca em novembro e, como consequência, temos expectativas de menos contratações e menos investimentos”, explica Marcelo Azevedo.



Estoques permanecem acima do planejado pelo quinto mês consecutivo

O índice de estoque efetivo em relação ao planejado em novembro ficou em 51,3 pontos, o que aponta para um nível de estoques acima do planejado pelos empresários. Apesar disso, o dado é 1,1 ponto menor do que em outubro. Essa queda demonstra um ajuste parcial nos estoques na passagem de outubro para novembro.


Expectativas dos empresários para exportações são otimistas em dezembro

O índice de expectativa de quantidade exportada de dezembro de 2022 cresceu 1,1 ponto na comparação com novembro, alcançando 50,7 pontos, sinal previsão de alta das quantidades exportadas. O índice de expectativa de demanda caiu de 51,4 pontos para 50,8 pontos. Apesar da queda, o índice mostra que as expectativas se mantêm otimistas.


Intenção de investir do empresário industrial perde força no final de 2022

O índice de intenção de investimento cresceu 0,3 ponto em dezembro de 2022 na comparação com o mês anterior. Apesar da alta, o valor atual, de 53,8 pontos, é o segundo mais baixo de 2022. A intenção de investir perdeu força nos últimos meses de 2022, mas segue relativamente alta. O índice está acima da média histórica, de 51,4 pontos, mas abaixo da média de janeiro a novembro de 2022, de 56,8 pontos.


Fonte: CNI

bottom of page