top of page

Suzano adquire 70 mil hectares de terras em MS por R$ 1,8 bilhão

Com a transação, a companhia amplia autossuficiência em madeira nas suas operações. A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, anunciou a celebração de contratos de compra e venda da totalidade da participação societária das empresas Timber VII SPE S.A. e Timber XX SPE S.A., sob gestão do BTG Pactual Timberland Investment Group, LLC. As duas empresas possuem aproximadamente 70 mil hectares de terras no estado do Mato Grosso do Sul.



11/01/2024 - A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, anunciou a celebração de contratos de compra e venda da totalidade da participação societária das empresas Timber VII SPE S.A. e Timber XX SPE S.A., sob gestão do BTG Pactual Timberland Investment Group, LLC. As duas empresas possuem aproximadamente 70 mil hectares de terras no estado do Mato Grosso do Sul, na região de abrangência das operações da Suzano, incluindo áreas onde há plantios de eucalipto em idades variadas. A transação foi avaliada em R$ 1,826 bilhão e ainda está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e demais condições precedentes habituais deste tipo de operação.


Com a transação, a Suzano ampliará a autossuficiência no suprimento de madeira para suas operações no estado, onde opera um complexo industrial no município de Três Lagoas e segue avançando com a construção da fábrica de celulose no município de Ribas do Rio Pardo (MS). Maior linha única de produção de celulose do mundo, o Projeto Cerrado terá capacidade anual de 2,55 milhões de toneladas e tem início de operação previsto para até junho de 2024.


“Essa transação consolida a autonomia da Suzano em sua estratégia de suprimento de madeira para o abastecimento no Mato Grosso do Sul, reforça a disciplina da companhia em ampliar constantemente sua competitividade e cria opcionalidades ao negócio da empresa”, afirmou Carlos Aníbal, diretor executivo das áreas Florestal e de Suprimentos da Suzano.


A operação prevê a realização do pagamento à vista, na data de fechamento da transação, e que o preço de aquisição poderá ser ajustado para refletir a posição das empresas a serem adquiridas na data de conclusão. Caso o acordo seja finalizado após o dia 31 de março de 2024, está previsto que o valor da transação será convertido para o dólar.


De acordo com a Suzano, como há expectativa de que a transação ocorra ao longo do próximo ano, a companhia também anunciou a revisão do investimento de capital (Capex) previsto para 2024. O valor estimado foi elevado de R$ 14,6 bilhões para cerca de R$ 16,5 bilhões.


Fonte: Portal Celulose


bottom of page