Smurfit Kappa expande produção em unidade mineira

Capacidade vai subir 20% na fábrica de Pirapetinga; fabricante irlandesa pretende ampliar os investimentos no Brasil nos próximos três anos.. A Smurfit Kappa está aumentando a capacidade de produção na sua fábrica de Pirapetinga (MG) em até 20%. A empresa irlandesa é a maior fabricante de embalagens de papelão ondulado da Europa, e pretende ampliar os investimentos no Brasil nos próximos três anos.



12/01/2021 - A Smurfit Kappa está aumentando a capacidade de produção na sua fábrica de Pirapetinga (MG) em até 20%. A empresa irlandesa é a maior fabricante de embalagens de papelão ondulado da Europa, e pretende ampliar os investimentos no Brasil nos próximos três anos.


Em meados de novembro, a companhia angariou 660 milhões de euros por meio de oferta primária de ações e trará parte desses recursos para o país, de acordo com Manuel Alcalá, presidente da operação local.


A fabricante vem acelerando seu programa global de investimentos. Com isso, o que antes seria feito em cinco anos, agora ocorrerá em três, de 2021 a 2023. A oferta de ações financiará esse plano de crescimento e, ao todo, foram mapeadas oportunidades de um investimento estimado em 1,2 a 1,4 bilhão de euros, segundo o executivo-chefe Tony Smurfit, incluindo o Brasil.


O faturamento da operação local não é revelado, porém, estima-se que a fabricante tenha encerrado o ano de 2020 com crescimento de dois dígitos. Dados preliminares da Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO) apontam que a expedição de caixas, chapas e acessórios no país foi recorde para o mês em novembro, com 337,5 mil toneladas, o que representa uma expansão de 4,2% na comparação anual.


As expedições obtiveram sucessivas marcas históricas nos meses anteriores, com recuperação da demanda mais forte do que o previsto após o auge da crise do coronavírus. Na Smurfit Kappa Brasil, o volume de vendas continuou forte em dezembro, bem como os pedidos para janeiro e fevereiro.


A estratégia de crescimento inclui abrir novos mercados e assegurar o fornecimento a clientes estratégicos, em um segmento que deve enfrentar oferta limitada de papel. O montante de R$ 32 milhões aplicado na fábrica de Pirapetinga vai de encontro a esse plano, que objetiva acompanhar, ainda, o crescimento do e-commerce e as vendas de embalagens nos canais on-line.


A companhia também irá expandir e modernizar o processo de produção de caixas de papelão com alta impressão, por meio da aquisição de uma nova impressora. O objetivo é atender à demanda de embalagens do tipo maleta com dimensões que não eram oferecidas até então, além de embalagens “display” a serem usadas nas prateleiras de varejistas.


“Há oportunidades em todos os segmentos. Limpeza, medicamentos e alimentos são prioridade, mas com a nova tecnologia é possível atender também aos segmentos de proteínas e frutas, com caixas maiores”, defende Manuel.


Inicialmente, a nova máquina sobe em 10% a capacidade produtiva na unidade, devendo atingir 20% futuramente. O equipamento foi adquirido na Europa e não houve mudanças no cronograma de instalação por conta da pandemia.


O executivo explica que a escolha da fábrica de Pirapetinga se deu em virtude do peso da região Sudeste para os negócios locais e as chances de expansão estratégica da unidade. No Brasil, a empresa tem quatro fábricas no total: duas em Minas Gerais, uma no Rio Grande do Sul e uma no Ceará.


Fonte: Tissue Online