Setor florestal aumenta fabricação matéria-prima e produtos para itens essenciais durante pandemia

De acordo com o Boletim Cenários Ibá, a produção de produtos essenciais demonstrou alta entre janeiro e setembro de 2020, quando comparado com o ano anterior. O Boletim Cenários Ibá, produzido pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), apontou que, a produção de produtos essenciais demonstrou alta entre janeiro e setembro de 2020, quando comparado com o ano anterior.



03/12/2020 - O Boletim Cenários Ibá, produzido pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), apontou que, a produção de produtos essenciais demonstrou alta entre janeiro e setembro de 2020, quando comparado com o ano anterior. A celulose avançou 5,9%; embalagens de papel demonstraram alta de 1,3%; enquanto papelcartão subiu 5,9%; e papéis para fins sanitários apresentaram avanço de 3,4%. As vendas domésticas de painéis de madeira, por sua vez, cresceram 0,8% no mesmo período.


“Este é um setor que vem mostrando sua essencialidade desde o início da pandemia. Os números do setor de árvores cultivadas entre janeiro e setembro corroboram com isso e revelam que todo o rígido protocolo adotado pelas companhias para cuidar dos colaboradores e manter a operação rodando está dando certo. Houve aumento de produção matéria-prima e itens que são fundamentais para proteção e prevenção de todos neste momento de pandemia, como celulose, que dá origem a EPIs tal qual máscaras cirúrgicas, toucas e aventais hospitalares; embalagens de papel e papel cartão, fundamentais para logística de e-commerce e delivery; e papéis para higiene, como lenços, papel higiênico, entre outros. Os painéis de madeira também demonstraram avanço nas vendas domésticas, uma vez que o home office tem estimulado e as pessoas passaram a remodelar suas casas. Vale lembrar que todos estes produtos têm origem renovável, a partir de árvores cultivadas. Ou seja, este é um setor que cuida do meio ambiente e das pessoas, seja colaboradores, comunidades vizinhas ou consumidores”, afirmou Paulo Hartung, presidente da Ibá.


Nos três primeiros trimestres de 2020, os produtos da indústria de base florestal chegaram a US$ 6,0 bilhões em comercializações com outros países. As vendas para o mercado externo de celulose totalizaram US$ 4,5 bilhões, enquanto de papel somaram US$ 1,3 bilhão e painéis de madeira, US$ 196 milhões.


A China seguiu como principal mercado da celulose nacional, adquirindo US$ 2,1 bilhões do produto. A América Latina, por sua vez, é o destino com maior negociação para painéis de madeira (US$ 95 milhões) e papel (US$ 738 milhões).


Confira a seguir os indicadores de desempenho do setor de árvores plantadas durante o terceiro trimestre de 2020, na 63ª edição do Cenários Ibá, boletim Indústria Brasileira de Árvores.


Produção – A produção de celulose chegou a 5,4 milhões de toneladas, avanço de 7,5%. No segmento de papel, destaca-se o papel cartão (+14,1%), comumente utilizado em embalagens para entrega via delivery ou embalagens de papel para alimentos.


Vendas Domésticas – As vendas de painéis de madeira no Brasil, no terceiro semestre de 2020, somaram 2,2 milhões de m3, aumento expressivo de 21,4%. Já o volume de vendas domésticas de papel foi de 1,4 milhão de toneladas.


Exportações em volume – As exportações de celulose demonstraram avanço de 11,7% no terceiro trimestre, somando 3,7 milhões de toneladas vendidas. O papel totalizou 497 milhões de toneladas comercializadas com outros países.


Fonte: Tissue Online