Produção industrial de Minas Gerais recua 0,9% em abril

A produção da indústria mineira recuou 0,9% entre março e abril de 2021, queda menos intensa que a observada na indústria brasileira (-1,3%). O segmento de transformação caiu 2,0%, enquanto o extrativo avançou 1,1% - o desempenho dos segmentos já havia sido sinalizado na pesquisa Indicadores Industriais da FIEMG. Das 12 atividades da indústria de transformação pesquisadas, sete registraram crescimento com destaque para papel e celulose (59,9%), outros produtos químicos (10,5%) e alimentos (2,7%). Por sua vez, o setor de veículos (-13,6%) apresentou o recuo mais intenso – devido à escassez de componentes para produção.



Por: Gerência de Economia e Finanças Empresariais- FIEMG


15/06/2021 - A produção da indústria mineira recuou 0,9% entre março e abril de 2021, queda menos intensa que a observada na indústria brasileira (-1,3%).


O segmento de transformação caiu 2,0%, enquanto o extrativo avançou 1,1% - o desempenho dos segmentos já havia sido sinalizado na pesquisa Indicadores Industriais da FIEMG.


Das 12 atividades da indústria de transformação pesquisadas, sete registraram crescimento com destaque para papel e celulose (59,9%), outros produtos químicos (10,5%) e alimentos (2,7%). Por sua vez, o setor de veículos (-13,6%) apresentou o recuo mais intenso – devido à escassez de componentes para produção.


Apesar do recuo em abril, a indústria mineira apresentou, dentre os locais pesquisados, o maior avanço (10,2%) na comparação com fevereiro de 2020, mês anterior à pandemia. A indústria brasileira encerrou o mês com o nível de produção 1,0% abaixo do observado em fevereiro de 2020.


Na comparação interanual, a produção industrial cresceu 32,5%. Contudo, o avanço expressivo refletiu uma base de comparação depreciada, tendo em vista que, devido à pandemia de Covid-19, a produção industrial de abril de 2020 registrou o menor nível da série histórica, iniciada em 2002.


Perspectivas

Apesar das dificuldades na obtenção de matérias-primas no curto prazo, para os próximos meses a expectativa é de crescimento da indústria mineira.


De acordo com a Sondagem Industrial da FIEMG divulgada em maio, as expectativas dos empresários mineiros são de aumento da demanda, da compra de matérias-primas e do número de empregados nos próximos seis meses.


A perspectiva de continuidade da recomposição dos estoques, aliada à retomada de plantas produtivas no segmento extrativo e à continuidade do fornecimento de máquinas e equipamentos para o agronegócio e para a construção, deve influenciar positivamente o desempenho da indústria nos próximos meses.


Fonte: IBGE e FIEMG