Produção Industrial de Minas Gerais avança 0,8% em novembro de 2021

A produção da indústria mineira cresceu 0,8% entre outubro e novembro de 2021, o primeiro avanço após cinco meses de queda. O segmento de transformação aumentou 2,6%, enquanto o extrativo caiu 4,2%. Vale ressaltar que o desempenho estadual foi superior ao observado na indústria nacional (-0,2%). No segmento de transformação, 6 das 12 atividades pesquisadas cresceram, com destaque para alimentos (12,2%), têxteis (5%) e máquinas e equipamentos (2,9%). Por sua vez, metalurgia (-3%), fumo (-2,5%) e veículos (-2,4%) foram as atividades que recuaram mais intensamente.



20/01/2022 - A produção da indústria mineira cresceu 0,8% entre outubro e novembro de 2021, o primeiro avanço após cinco meses de queda.


O segmento de transformação aumentou 2,6%, enquanto o extrativo caiu 4,2%.


Vale ressaltar que o desempenho estadual foi superior ao observado na indústria nacional (-0,2%).


No segmento de transformação, 6 das 12 atividades pesquisadas cresceram, com destaque para alimentos (12,2%), têxteis (5%) e máquinas e equipamentos (2,9%). Por sua vez, metalurgia (-3%), fumo (-2,5%) e veículos (-2,4%) foram as atividades que recuaram mais intensamente.


A retração no segmento extrativo foi explicada, em parte, pela menor demanda por minério de ferro na China, devido às restrições à produção de aço no país asiático no segundo semestre de 2021.


No acumulado do ano até novembro, a produção da indústria mineira cresceu 10,9%, aumento superior ao da indústria brasileira (4,7%).


Tanto o segmento extrativo (16,1%) quanto o segmento de transformação (9,7%) avançaram.


Dentre as atividades, destacaram-se: veículos (49,2%) – com influência de caminhões e veículos para transporte de mercadorias –, máquinas e equipamentos (42,6%) e metalurgia (17,6%).


Por sua vez, as atividades de outros produtos químicos (-18,7%) – influenciada pela menor produção de fosfatos e de fertilizantes – e de alimentos (-5,8%) – puxada pela menor produção de açúcar – registraram recuo na produção.


PERSPECTIVAS

Para 2022, a expectativa é de acomodação da produção industrial. Por um lado, as dificuldades de oferta de matérias-primas devem diminuir, sobretudo na cadeia automotiva. Por outro lado, a redução do poder de compra das famílias – em função da inflação elevada – e o aumento da taxa básica de juros (Selic) devem influenciar negativamente a atividade.


Adicionalmente, o elevado volume de chuvas que vem atingindo o estado de Minas Gerais desde dezembro de 2021 deverá impactar a produção industrial nos primeiros meses do ano. As fortes chuvas prejudicam a atividade produtiva, na medida em que dificultam o deslocamento dos trabalhadores e provocam a paralisação de linhas de produção, tanto pelas dificuldades logísticas quanto pela intermitência do fornecimento de água e de energia.


Fonte: IBGE e FIEMG