Produção Industrial Brasil - Março 2021

A produção física da indústria brasileira caiu 2,4% entre fevereiro e março – queda menos intensa do que o esperado pelo mercado (-3,0%). O resultado foi explicado pelo recuo de 3,2% da indústria de transformação. Por sua vez, a indústria extrativa avançou 5,5%.Dentre os grandes setores pesquisados, apenas a produção de bens intermediários (0,2%) cresceu, ao passo que as produções de bens de consumo não duráveis (-10,2%), de bens de consumo duráveis (-7,8%) e de bens de capital (-6,9%) caíram.



06/05/2021 - A produção física da indústria brasileira caiu 2,4% entre fevereiro e março – queda menos intensa do que o esperado pelo mercado (-3,0%).

O resultado foi explicado pelo recuo de 3,2% da indústria de transformação. Por sua vez, a indústria extrativa avançou 5,5%.


Dentre os grandes setores pesquisados, apenas a produção de bens intermediários (0,2%) cresceu, ao passo que as produções de bens de consumo não duráveis (-10,2%), de bens de consumo duráveis (-7,8%) e de bens de capital (-6,9%) caíram.


Dentre as 26 atividades pesquisadas, 15 apresentaram queda no mês. Destacaram-se negativamente as atividades de veículos (-8,4%) – impactada pela escassez de insumos –, de farmacêuticos (-9,5%) e de vestuário (-14,1%). Por sua vez, as atividades de outros equipamentos de transporte (35%) e de impressão e reprodução (16,1%) avançaram significativamente.


Com o resultado, a produção recuou 0,4% no primeiro trimestre de 2021, frente ao quarto trimestre de 2020. A indústria de transformação caiu 0,6%, enquanto a extrativa cresceu 0,8%. Sob a ótica das grandes categorias, as produções de bens de capital (3,9%) e de bens intermediários (0,5%) avançaram. Em contrapartida, bens de consumo duráveis (-4,5%) e bens de consumo não duráveis (-1,7%) registraram queda.


PERSPECTIVAS

Em abril de 2021, frente a março, o Índice Gerente de Compras (PMI- IHS Markit) do setor industrial mostrou contrações nos pedidos e na produção pelo segundo mês consecutivo. De acordo com a pesquisa, as restrições associadas à Covid-19 e o fechamento de empresas impactaram negativamente a demanda. Por sua vez, a demanda internacional por produtos brasileiros aumentou pelo terceiro mês consecutivo.


Apesar dos desafios no curto prazo, é esperado que, com o avanço da vacinação ao longo do ano, a produção industrial apresente recuperação.


Fonte: IBGE.