Prefeitura de BH publica decreto que desobriga uso de máscara em locais fechados

Item ainda é obrigatório no ônibus, nos escolares e em estabelecimentos de saúde. Decreto que desobriga uso de máscara em locais fechados em BH começa a valer nesta quinta-feira (28). A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) publicou, na manhã desta quinta-feira (28), o decreto que oficializa a desobrigação do uso de máscara em locais fechados, anunciada ontem (27) pelo prefeito Fuad Noman (PSD). Mesmo assim, a prefeitura recomenda que idosos, pessoas com comorbidades e quem não se vacinou contra a Covid-19 mantenha a máscara em qualquer ambiente. A nova regra já entrou em vigor.


Foto: João Godinho / O Tempo


Por GABRIEL RODRIGUES


28/04/2022 - A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) publicou, na manhã desta quinta-feira (28), o Decreto Nº 17.943 que oficializa a desobrigação do uso de máscara em locais fechados, anunciada ontem (27) pelo prefeito Fuad Noman (PSD). Mesmo assim, a prefeitura recomenda que idosos, pessoas com comorbidades e quem não se vacinou contra a Covid-19 mantenha a máscara em qualquer ambiente. A nova regra já entrou em vigor.


O texto destaca que a máscara ainda é obrigatória no transporte coletivo e nas estações de embarque e desembarque — como as estações do Move —, no transporte escolar e em serviços de saúde, sejam clínicas ou postos de bairro, por exemplo.


A prefeitura destaca que, mesmo com a nova medida, tem liberdade para exigir máscara em locais determinados, caso seja necessário. “ A Secretaria Municipal de Saúde poderá dispor sobre a exigência de utilização de máscaras em situações e estabelecimentos específicos”, ressalta o decreto.


Cada estabelecimento tem autonomia para pedir que usuários utilizem a máscara, mesmo que o item não seja mais obrigatório. Os infectologistas que assessoraram a prefeitura antes do fim do decreto de calamidade pública recomendam que a população ainda utilize máscara em situações de risco, como em locais fechados com aglomeração e quando a pessoa estiver com sintomas de infecção viral.


A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Associação Médica Brasileira (AMB) orientam que grupos com maior risco de agravamento da Covid-19, como gestantes e idosos, mantenham o item de segurança. A recomendação também vale para toda a população em situações de risco.


Fonte: jornal O Tempo