top of page

Nova máquina de caixa Maleta já está em funcionamento na Paraibuna Embalagens

Impressora é responsável por produzir 50% dos produtos vendidos pela Paraibuna. Em busca de inovações para atender cada vez mais as necessidades dos clientes, a Paraibuna Embalagens amplia a sua capacidade produtiva, desta vez com a aquisição a máquina Flexo Printer Slotter Bobst Martin 924, impressora composta por três unidades de impressão, ou seja, em três cores, capaz de atingir a velocidade de 15 mil caixas por hora.



01/06/2023 - Em busca de inovações para atender cada vez mais as necessidades dos clientes, a Paraibuna Embalagens amplia a sua capacidade produtiva, desta vez com a aquisição a máquina Flexo Printer Slotter Bobst Martin 924, impressora composta por três unidades de impressão, ou seja, em três cores, capaz de atingir a velocidade de 15 mil caixas por hora. Com ela, é possível atender novos mercados, como aprimorar processos de planejamento de produção.


“Essa nova impressora agrega um potencial muito grande para a Paraibuna, já que 50% do que vendemos pode ser produzido por ela. É uma máquina que chega com a carteira de pedidos cheia e liberando as demais máquinas a atuarem em seus próprios segmentos”, explica o diretor da unidade de Sapucaia, Atala Trepichio.


Além do aumento da produção, a impressora possibilita atender as necessidades dos clientes, ampliando as possibilidades de impressão. “Ficamos mais flexíveis à necessidade do cliente ou para programação combinada”, explica o Gerente Comercial Ondulados, Luiz Augusto.


O Gerente Industrial da unidade de Sapucaia, Clayton Rômulo, observa que a máquina está em funcionamento desde janeiro está aumentando a cada mês o volume produzido. Por isso, ele destaca que a nova impressora já está superando as expectativas.


“O objetivo maior é o aumento de produção de caixas maletas com três cores, incluindo o incremento do volume na produção e, consequentemente, nas vendas. A impressora melhora também a disponibilidade nas manutenções programadas preventivas no parque industrial de Sapucaia, sem afetar as entregas dos clientes”.


De olho no mercado

A Paraibuna Embalagens investiu nessa nova máquina porque a tendência é que o consumo de embalagens aumente cada vez mais. A presidente do Conselho de Administração da Empapel, Gabriella Michelucci, afirmou, em uma entrevista para o site da Empapel, que o movimento de substituição de materiais de embalagens está acontecendo cada vez mais rápido. Por isso, ela acredita em perspectivas positivas para 2023 e espera uma maior valorização do setor.


“Atualmente há uma migração muito rápida nas cervejarias. Há muitas oportunidades ainda, através do crescimento do e-commerce, o que tem gerado um aumento em relação aos modelos anteriores (de crescimento)”.


Além disso, Gabriella destacou também a importância dos produtos reciclados. “Cada vez mais o consumidor quer receber na sua casa uma embalagem sustentável. A embalagem de papelão ondulado tem a segunda melhor taxa de reciclagem do Brasil e está entre as melhores do mundo. A indústria brasileira de reciclagem para esse tipo de embalagem é completa”.


Ampliação e crescimento

Nos últimos tempos, a Paraibuna Embalagens está no processo de expansão e ampliação. Os investimentos nas duas unidades fabris têm crescido sucessivamente. Como por exemplo a máquina MP8, que já está funcionando há um ano e dobrou a capacidade da empresa. E por conta desse equipamento, um prédio com 2.600 metros quadrados foi construído na unidade de Juiz de Fora.


Além disso, uma nova caldeira foi inaugurada no final do ano passado. Com ela, foi possível ampliar o sistema de geração de vapor que integra a cadeia produtiva da empresa. O equipamento é importante para a secagem do papel, uma etapa essencial da produção. O que resultou em uma otimização e ampliação da capacidade produtiva da empresa.


A empresa também ampliou todo o seu pátio fabril, como por exemplo os setores de aparas e de cavaco. Com todos esses investimentos, a Paraibuna Embalagens está focada em aumentar a sua participação no mercado de papel e papelão não apenas no Brasil, mas também em nível internacional. Agora, a empresa faz parte da Associação de Ondulados do Caribe, América Central e do Sul (ACCCSA).


Ser associado a ACCCSA é um grande avanço, já que a associação tem como objetivo fomentar o desenvolvimento do setor por meio da troca de experiências, conhecimento e avanços tecnológicos que consolidem o setor em toda a América Latina.


Com a máquina Flexo Printer Slotter Bobst Martin 924, a unidade da Sapucaia pode elevar a venda de pedidos dos segmentos de produtos alimentícios, horticultura, químicos e derivados. E o próximo investimento será na onduladeira, com foco no aumento de produtividade e qualidade do produto.


Fonte: Portal Celulose

bottom of page