Klabin lucra R$ 1,327 bilhão no quarto trimestre, mas fecha 2020 no prejuízo

A Klabin reportou no quarto trimestre lucro líquido de R$ 1,327 bilhão, alta de 110% em relação a um ano antes, quando a companhia havia somado R$ 631,1 milhões. No entanto, o desempenho no final do ano não foi suficiente para conter o prejuízo no acumulado de 2020, que chegou a R$ 2,389 bilhões. O balanço corporativo aponta que o Ebitida ajustado, excluídos efeitos não recorrentes, atingiu R$ 1,106 bilhão no intervalo de outubro a dezembro.


No quarto trimestre, a Klabin assumiu os ativos comprados da International Paper (Imagem: LinkedIn/Klabin).


16/02/2021 - A Klabin (KLBN11) reportou no quarto trimestre lucro líquido de R$ 1,327 bilhão, alta de 110% em relação a um ano antes, quando a companhia havia somado R$ 631,1 milhões.


No entanto, o desempenho no final do ano não foi suficiente para conter o prejuízo no acumulado de 2020, que chegou a R$ 2,389 bilhões.


O balanço corporativo aponta que o Ebitida ajustado, excluídos efeitos não recorrentes, atingiu R$ 1,106 bilhão no intervalo de outubro a dezembro, e no acumulado do ano passado o indicador totalizou R$ 4,7 bilhões, cifras que representam aumento de 15% e 27%, na comparação com os respectivos períodos em 2019.


Com crescimento em todas as linhas de negócio, a receita líquida da Klabin aumentou 22% em relação ao mesmo período de 2019, e 12% se desconsiderada receita adicional proveniente das unidades adquiridas da IP, com montante de R$ 3,817 bilhões.


No trimestre mencionado, a Klabin assumiu os ativos comprados da International Paper. As novas unidades adicionaram 68 mil toneladas de papelão ondulado ao volume de vendas e R$ 258 milhões à receita líquida do período.


Os analistas de mercado previram que as receitas deviam vir pressionadas por volumes levemente em alta, mas com preços ainda estáveis em relação ao terceiro trimestre.


No caso, a Klabin paralisou temporariamente as atividades na planta Puma, o que deve influenciar nos volumes de produção e vendas e limitar o crescimento das receitas.


Fonte: Money Times