Klabin lança papel cartão para multipacks feito com celulose MFC

De acordo com a empresa, a adição de MFC na composição melhora significativamente as propriedades e o desempenho do produto. A Klabin está lançando uma nova versão de seu papel cartão direcionado a embalagens de bebidas (multipack), o Klamulti, que passa a levar celulose microfibrilada (MFC) na composição. A novidade, liderada pelos times de Desenvolvimento de Produtos e do Centro de Tecnologia da companhia, foi produzida na planta de MFC, localizada em Telêmaco Borba (PR).



23/06/2022 - A Klabin está lançando uma nova versão de seu papel cartão direcionado a embalagens de bebidas (multipack), o Klamulti, que passa a levar celulose microfibrilada (MFC) na composição. A novidade, liderada pelos times de Desenvolvimento de Produtos e do Centro de Tecnologia da companhia, foi produzida na planta de MFC, localizada em Telêmaco Borba (PR).


De acordo com a empresa, os desenvolvimentos comprovaram que a adição de MFC na composição do papel cartão melhora significativamente as propriedades e o desempenho do produto. Assim, é possível reduzir a sua gramatura e utilizá-lo na criação de embalagens mais leves e resistentes, melhorando a eficiência do material. O processo de produção da MFC desenvolve o micro-fibrilamento das paredes das fibras de celulose, permitindo maior área de ligação entre elas, aumentando, assim, a resistência mecânica do papel.


“As linhas de papel cartão da Klabin utilizam diferentes composições de fibras para garantir a melhor relação entre rigidez, estrutura, resistência e qualidade de impressão. Cada versão do portfólio foi cuidadosamente desenvolvida para produzir os melhores resultados nos processos dos nossos clientes. Potencializar essas qualidades com a otimização de recursos é um diferencial para a companhia”, diz Flavio Deganutti, diretor do Negócio de Papéis da Klabin.


A Klabin tem entre suas propostas a potencialização máxima dos recursos florestais, visando à diversificação do uso dos componentes da madeira, que fortalecem o seu portfólio ampliam e as oportunidades de atuação nos mercados de produtos renováveis e sustentáveis.


“A Klabin tem como objetivo ser referência em soluções responsáveis que atendam às constantes transformações da sociedade e a inovação é um direcionador importante para a evolução dos nossos negócios. A oferta de embalagens inovadoras permite a consolidação do papel como protagonista e reforça a nossa vocação para a criação de

um futuro mais sustentável”, afirma Francisco Razzolini, diretor de Tecnologia Industrial, Inovação, Sustentabilidade e Projetos da Klabin.


Anteriormente, a Klabin já havia utilizado a MFC de maneira inovadora. Ainda em 2014, iniciou os desenvolvimentos do uso desta celulose em seus produtos, mas ainda em escala laboratorial. Com a inauguração do Centro de Tecnologia Klabin, em 2017, o foco foi aumentar a escala de produção do componente, o que potencializou o startup da planta piloto de MFC, para a produção de uma tonelada de celulose microfibrilada por dia, no final de 2019. A partir de então, testes industriais em diversas máquinas de papel da empresa já foram realizados, assim como aplicações fora de seu core bussiness.


Em 2020, em parceria com o Instituto Senai de Inovação em Biossintéticos e Fibras e a indústria de cosméticos &CO (antiga Apoteka), finalizou em tempo recorde os testes para produção de álcool em gel utilizando a celulose microfibrilada. Já no ano passado, descobriu que a MFC também poderia ser empregada como substituta aos aditivos de irrigação não renováveis, como os derivados do petróleo.


Agora, a novidade é o uso de MFC já em escala industrial, na produção de cartões específicos, para melhorar a qualidade e aplicação em alguns segmentos, como o Klamulti Premium Carrier. Trata-se de um cartão para embalagens múltiplas para o mercado de latas e garrafas, que entrega as mesmas propriedades com importantes reduções de gramatura.


Fonte: Tissue Online