Klabin bate recorde mundial de produção de celulose fluff com apoio de tecnologias Valmet

Primeira máquina fabricada exclusivamente para produção de fluff registrou a marca de 1.560 toneladas ao dia. Após alcançar alguns históricos números de produção desde o seu lançamento, a máquina de secagem MC26 da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis para embalagens e embalagens de papel do Brasil, bateu o recorde mundial de produção de celulose fluff, em 2021, ao alcançar 1.560 toneladas produzidas em um único dia. A marca foi comemorada pela Companhia, assim como pela fornecedora de tecnologias para os setores de papel, celulose e energia, a finlandesa Valmet. O projeto iniciado em 2014 foi baseado em uma parceria mútua e no estudo para o desenvolvimento da primeira máquina de secagem do mundo, desenhada desde sua concepção.



23/12/2021 - Após alcançar alguns históricos números de produção desde o seu lançamento, a máquina de secagem MC26 da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis para embalagens e embalagens de papel do Brasil, bateu o recorde mundial de produção de celulose fluff, em 2021, ao alcançar 1.560 toneladas produzidas em um único dia. A marca foi comemorada pela Companhia, assim como pela fornecedora de tecnologias para os setores de papel, celulose e energia, a finlandesa Valmet.


O projeto iniciado em 2014 foi baseado em uma parceria mútua e no estudo para o desenvolvimento da primeira máquina de secagem do mundo, desenhada desde sua concepção, para a produção de celulose fluff, utilizada principalmente na confecção de absorventes e fraldas descartáveis. “A máquina MC26 sempre performou bem, com qualidade e segurança, e a cada dois, três meses, temos recordes de produção de uma forma muito sustentável. Com o projeto Puma II, em que colocamos uma capacidade adicional de polpa marrom, veio a oportunidade para um upgrade em 2020, aumentando nossa capacidade nominal de produção da celulose de 1.300 para 1.500 toneladas por dia. Para nossa surpresa, nos primeiros testes ela já desempenhou muito bem, atingindo uma alta produção”, comemora o gerente industrial da Unidade Puma da Klabin, Pablo Cadaval Santos.


De acordo com Cadaval, além dos bons resultados de produção, o feedback dos clientes quanto à qualidade do fluff também foi muito positivo desde o início. “Tivemos uma grande aceitação, desde as primeiras produções. Hoje a Klabin já atingiu um grande market share nacional e o reconhecimento mundial da qualidade da nossa celulose fluff”, acrescenta Pablo.


O gerente de vendas da Valmet, Tiago Silveira, destaca o desafio de inserir a indústria brasileira em um setor dominado pelo mercado norte-americano. “Toda a celulose fluff utilizada no país vinha de importação. Hoje, a Klabin já tem uma grande fatia desse mercado, graças à competência do seu corpo técnico, aliada à tecnologia e ao suporte fornecido pela Valmet”, afirma.


Além da alta produtividade, a Valmet também é comprometida com a sustentabilidade de suas soluções. “Quando desenhamos uma máquina, sempre utilizamos a melhor tecnologia disponível no mercado, com equipamentos robustos e que consomem menos energia e vapor. Essa é uma meta que sempre buscamos nos nossos projetos”, completa o gerente de vendas.


Fonte: Celulose Online