Irani cria fundo para investir em startups

Por meio do Irani Ventures, a empresa tem como meta formar um portfólio de até 20 startups, com investimento inicial de até R$ 1 milhão para cada. A Irani Papel e Embalagem lançou um veículo de Corporate Venture Capital (CVC) para investir em startups, a Irani Ventures. A empresa tem como meta formar um portfólio de até 20 startups, com investimento inicial de até R$ 1 milhão para cada. As startups serão escolhidas tendo como premissa a sustentabilidade para potencializar a construção de novos negócios e alternativas para o segmento de embalagens. As investidas também deverão ter alto potencial de inovação e transformação digital, nível elevado de maturidade e dialogar com o modelo de negócios da companhia.



19/08/2021 - A Irani Papel e Embalagem lançou um veículo de Corporate Venture Capital (CVC) para investir em startups, a Irani Ventures. A empresa tem como meta formar um portfólio de até 20 startups, com investimento inicial de até R$ 1 milhão para cada.


As startups serão escolhidas tendo como premissa a sustentabilidade para potencializar a construção de novos negócios e alternativas para o segmento de embalagens. As investidas também deverão ter alto potencial de inovação e transformação digital, nível elevado de maturidade e dialogar com o modelo de negócios da companhia.


Elas terão acesso a um programa de aceleração, em parceria com a GROW+, gestora de investimentos e aceleradora de startups. O “10-WeekLabs” oferecerá um processo de imersão e alavancagem com capital intelectual, envolvendo suporte operacional, mentoria e networking, que auxiliarão no crescimento e desenvolvimento das atividades e do negócio das startups.


De acordo com o presidente da companhia, Sérgio Ribas, o fundo significa mais um passo na estratégia de inovação da Irani. “A Irani Ventures reforça a nossa atuação frente ao ecossistema de startups e nos permitirá encontrar novas soluções e produtos para o setor de papel e embalagem, que vive um momento histórico de crescimento”, afirmou, em nota.


O projeto tem duração inicial de sete anos. Os quatro primeiros serão destinados ao investimento e os três últimos, ao desenvolvimento dos projetos. No decorrer desse período, a fornecedora realizará rodadas de investimentos, enquanto a GROW+ será responsável pelo processo de seleção e aceleração das startups.


Fonte: Tissue Online