FIEMG apura recuo da atividade industrial no primeiro mês do ano

Sondagem sinaliza ainda para retração da produção e do número de empregados do setor. Confira detalhes da pesquisa. A Sondagem Industrial de Minas Gerais, apurada pela FIEMG, revela retração da atividade no primeiro mês do ano, com recuo da produção e do número de empregados do setor. A utilização da capacidade instalada ficou abaixo da usual para janeiro, sendo inferior à sua média histórica. Além disso, as empresas encerraram o mês com os estoques acima do nível planejado pela terceira vez consecutiva, após um ano e meio abaixo desse patamar.


Foto: FIEMG.


17/02/2022 - A Sondagem Industrial de Minas Gerais, apurada pela FIEMG, revela retração da atividade no primeiro mês do ano, com recuo da produção e do número de empregados do setor. A utilização da capacidade instalada ficou abaixo da usual para janeiro, sendo inferior à sua média histórica. Além disso, as empresas encerraram o mês com os estoques acima do nível planejado pela terceira vez consecutiva, após um ano e meio abaixo desse patamar.


Ainda assim, as expectativas dos empresários para os próximos seis meses com relação à demanda, à compra de matérias-primas e ao número de empregados foram positivas pela 20ª vez consecutiva. O avanço da vacinação contra a Covid-19 – com a aplicação de doses de reforço – e a consequente normalização das atividades vêm contribuindo para a sustentação do otimismo dos industriais.


FATORES DE RISCO

A inflação elevada e as incertezas relacionadas às eleições, no entanto, são vistas como fatores de risco para a atividade econômica. O índice de evolução da produção sinalizou, pelo segundo mês consecutivo, retração da produção industrial, marcando 40,8 pontos em janeiro. O indicador mostrou leve crescimento frente a dezembro (40,5 pontos), de 0,3 ponto.


Na comparação com janeiro de 2021 (48,6 pontos), o índice recuou 7,8 pontos, sendo o menor para o mês em seis anos. O indicador de evolução do número de empregados registrou queda do emprego em janeiro (48,6 pontos). O índice ficou um pouco acima do verificado em dezembro, quando registrou 48,3 pontos. Em relação a janeiro de 2021 (51,4 pontos), o indicador recuou 2,8 pontos.


Acesse a íntegra da pesquisa neste LINK.


Fonte: FIEMG