Faturamento da indústria cresce pelo quarto mês seguido

No acumulado do primeiro bimestre, os indicadores de atividade mostraram crescimento. A Pesquisa Indicadores Industriais (Index), divulgada pela FIEMG no dia 08/04, mostrou elevação em praticamente todas as variáveis em fevereiro, na comparação com janeiro, com exceção das horas trabalhadas na produção, que ficaram estáveis. O faturamento da indústria geral (indústria de transformação + indústria extrativa) registrou o quarto aumento seguido, puxado pelo segmento extrativo.



13/04/2021 - A Pesquisa Indicadores Industriais (Index), divulgada pela FIEMG no dia 08/04, mostrou elevação em praticamente todas as variáveis em fevereiro, na comparação com janeiro, com exceção das horas trabalhadas na produção, que ficaram estáveis. O faturamento da indústria geral (indústria de transformação + indústria extrativa) registrou o quarto aumento seguido, puxado pelo segmento extrativo.


O emprego também avançou em fevereiro, contribuindo para as expansões na massa salarial e no rendimento médio real. A utilização da capacidade instalada apresentou crescimento, influenciado pelas elevações nas indústrias extrativa e de transformação, e superou sua média histórica.


No primeiro bimestre, os indicadores de atividade – faturamento, horas trabalhadas na produção e utilização da capacidade instalada – mostraram crescimento. Em contrapartida, as variáveis ligadas ao mercado de trabalho – emprego, massa salarial e rendimento médio – registraram desempenho negativo.


Nos próximos meses, o principal desafio da indústria mineira será a superação da pandemia da Covid-19, tendo em vista o avanço do contágio e o ritmo lento da vacinação. Outros problemas também poderão impactar negativamente a atividade industrial em 2021, como o atraso na entrega ou mesmo a falta de insumos fundamentais à produção – o que já vem sendo observado em diversos setores –, e o aumento dos custos de produção, reflexo da elevação nos preços das matérias-primas e dos transportes, por exemplo.


CLIQUE AQUI E VEJA O ESTUDO COMPLETO.


Fonte: FIEMG