Fabricantes de papel e celulose se beneficiam da alta de preços

As empresas tiveram os resultados do segundo trimestre favorecidos pelas vendas robustas e os preços mais alto. As fabricantes de papel e celulose foram beneficiadas com as vendas robustas e os preços mais altos no segundo trimestre. Analistas apontam que a demanda global segue aquecida, enquanto a oferta ainda sente os efeitos de paradas não programadas e postergadas por conta da pandemia. Os preços das fibras superaram até mesmo os níveis vistos em 2019. No entanto, a escalada das commodities também afeta os custos das companhias.



24/08/2021 - As fabricantes de papel e celulose foram beneficiadas com as vendas robustas e os preços mais altos no segundo trimestre. Analistas apontam que a demanda global segue aquecida, enquanto a oferta ainda sente os efeitos de paradas não programadas e postergadas por conta da pandemia. Os preços das fibras superaram até mesmo os níveis vistos em 2019.


No entanto, a escalada das commodities também afeta os custos das companhias. Os resultados foram impactados pelo aumento dos preços dos combustíveis e da energia, bem como pela diminuição de demanda de alguns países importadores, como a China.


Mesmo assim, as três empresas do segmento listadas na Bolsa – Suzano, Klabin e Irani – conseguiram reverter prejuízos. A Eldorado Brasil também alcançou resultado recorde para o período.


Ainda de acordo com analistas, as tendências para o próximo semestre também são positivas, com o consumo global se mantendo em alta até o fim do ano.


Confira os resultados das principais empresas de papel e celulose no segundo trimestre:


Fonte: Tissue Online

Posts recentes

Ver tudo