Fabricação de papel tissue cresce mais de 3% na Espanha

O aumento ocorreu, principalmente, por conta das compras de pânico que esvaziaram as prateleiras de papel higiênico. Na Espanha, a produção de papel foi de 6,27 toneladas no ano passado, 2,6% inferior que a de 2019, enquanto a de celulose caiu 0,4%, para 1,65 milhão, segundo a Aspapel (Associação Espanhola de Fabricantes de Celulose, Papel e Cartão). Apesar disso, os dados mostram que a fabricação de papel tissue cresceu 3,2% e a de papelão ondulado avançou 5,1%. Com a pandemia, os dois papéis viram o seu consumo aumentar: as compras de pânico fizeram com o que o papel higiênico desaparecesse das prateleiras dos supermercados e o aumento do delivery impulsionou o uso de papelão para a fabricação de embalagens.



29/06/2021 - Na Espanha, a produção de papel foi de 6,27 toneladas no ano passado, 2,6% inferior que a de 2019, enquanto a de celulose caiu 0,4%, para 1,65 milhão, segundo a Aspapel (Associação Espanhola de Fabricantes de Celulose, Papel e Cartão). Apesar disso, os dados mostram que a fabricação de papel tissue cresceu 3,2% e a de papelão ondulado avançou 5,1%.


Com a pandemia, os dois papéis viram o seu consumo aumentar: as compras de pânico fizeram com o que o papel higiênico desaparecesse das prateleiras dos supermercados e o aumento do delivery impulsionou o uso de papelão para a fabricação de embalagens.


O faturamento do setor caiu 14% no ano passado e ficou em 3.981 milhões. Os empregos se mantiveram estáveis, com 16.637 trabalhadores diretos.


Nos primeiros quatro meses de 2021, a produção mundial de papel subiu 1,7%, com crescimento em quase todos os tipos, segundo a entidade.


Com isso, os papéis tissue avançaram 2,4%, o papelão ondulado cresceu 3,1% e outros papéis para embalagens, 4,9%.


Por outro lado, a produção de cartão revestido teve queda de 4,7% e a de papéis gráficos (imprensa, imprimir e escrever), que em 2020 caiu mais de 30%, encolheu 5,7% nos primeiros quatro meses do ano.


Fonte: Tissue Online