Expedição de papelão ondulado registra queda de 9,6% em março

A prévia dos indicadores da Empapel aponta que o Índice Brasileiro de Papelão Ondulado (IBPO) teve queda de 9,6% em março na comparação com o mesmo mês do ano anterior, para 147,2 pontos (2005=100). Trata-se do maior recuo interanual do indicador para os meses de março desde o início da série, iniciada em 2005. Entretanto, em março de 2021 a expedição havia atingido o segundo maior nível da série dos últimos 17 anos, ou seja, a base de comparação estava muito acima da média de anos anteriores. Em volume, a expedição de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado totalizou 330 489 toneladas no mês.


Foto: Tissue Online


14/04/2022 - A prévia dos indicadores da Empapel aponta que o Índice Brasileiro de Papelão Ondulado (IBPO) teve queda de 9,6% em março na comparação com o mesmo mês do ano anterior, para 147,2 pontos (2005=100). Trata-se do maior recuo interanual do indicador para os meses de março desde o início da série, iniciada em 2005. Entretanto, em março de 2021 a expedição havia atingido o segundo maior nível da série dos últimos 17 anos, ou seja, a base de comparação estava muito acima da média de anos anteriores.



Em volume, a expedição de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado totalizou 330 489 toneladas no mês.


O volume de expedição por dia útil foi de 12 711 toneladas, queda de 6,1% na comparação com março de 2022 (26 x 27 dias úteis).


Considerando-se dados trimestrais, a prévia da Empapel apurou, no primeiro trimestre de 2022, um volume de expedição do papelão ondulado 9,8% inferior ao do primeiro trimestre de do ano anterior.


Segundo os dados livres de influência sazonal, a prévia de março sinaliza alta do IBPO de 2,8%, para 144,6 pontos, interrompendo a sequência de queda dos dois primeiros meses do ano.


O volume expedido de papelão ondulado no primeiro trimestre de 2021 foi inferior em 1,8% aos dados do trimestre imediatamente anterior, com ajuste sazonal, nesta prévia de março.




Fonte: Embalagem e Marca