Especialista da Valmet analisa crescimento da demanda por papel de embalagens

Em novembro de 2020, mercado avançou 4,2% em relação ao mesmo período de 2019. O mercado de embalagens de papel e papelão ondulado é um dos termômetros do nível de produção da indústria. Esses materiais são fundamentais para entregar produtos aos clientes. Portanto, quando a demanda aumenta, significa que a produção de diversos segmentos também cresceu. De acordo com a Associação Brasileira de Embalagens em Papel (Empapel), a expedição de caixas e chapas de papelão ondulado subiu 3,7% na comparação entre os oito primeiros meses de 2019 e 2020.



18/03/2021 - O mercado de embalagens de papel e papelão ondulado é um dos termômetros do nível de produção da indústria. Esses materiais são fundamentais para entregar produtos aos clientes. Portanto, quando a demanda aumenta, significa que a produção de diversos segmentos também cresceu. De acordo com a Associação Brasileira de Embalagens em Papel (Empapel), a expedição de caixas e chapas de papelão ondulado subiu 3,7% na comparação entre os oito primeiros meses de 2019 e 2020. Apenas em novembro do ano passado, este mercado somou 337.515 toneladas, o que mostra um avanço de 4,2% em relação ao mesmo mês de 2019.


O principal reflexo deste crescimento é o aumento do comércio eletrônico. Durante a pandemia do novo coronavírus, 11.5 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra online entre os meses de abril e setembro de 2020, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). A entidade aponta que, antes da pandemia, o Brasil representava pouco mais de 5% das vendas totais do varejo, e passou a responder por 12%.


A Valmet, líder mundial no desenvolvimento e fornecimento de tecnologias, automação e serviços para os setores de celulose, papel e energia, analisa que, além disso, as embalagens sustentáveis estão se tornando cada vez mais importantes no comércio eletrônico e em outros mercados – criando novas oportunidades para materiais de embalagem à base de fibra, recicláveis e biodegradáveis. Também é previsto um futuro promissor para o uso de papel cartão no acondicionamento de líquidos, já que muitas empresas desejam substituir o plástico como material de embalagem de produtos alimentícios.


De acordo com o diretor da linha de negócios de papel da Valmet na América do Sul, Rogerio Berardi, “a celulose para embalagens é uma área em franco crescimento e estamos percebendo isso no nosso dia a dia. Muitos clientes estão investindo na produção de kraftliner, papelão ondulado e cartão para o acondicionamento de líquidos e, consequentemente, está diminuindo a demanda por papéis para impressão e escrita. Fornecemos linhas de fibras completas e linhas de fabricação de papel embalagem e cartão, desde matéria-prima de madeira até papel embalagem e papelão prontos para uso. Nossa oferta abrange máquinas novas e reformas, tecnologias de processos, automação, soluções de internet industrial e serviços, tanto para a linha de fibras quanto para as máquinas de fabricação de papel embalagem e cartão”, explica.


Aspectos ambientais e de sustentabilidade são fortes propulsores

De acordo com o relatório “O futuro das embalagens de papelão ondulado até 2023” da Smithers (UK), este mercado deve crescer cerca de 3,7% ao ano, atingindo US$ 300 bilhões em 2023, com estimativas de um crescimento anual de cerca de 20% no comércio eletrônico na Europa.


Como o setor de papelão ondulado representa 80% da demanda no comércio eletrônico, as vendas on-line previstas (de mais de US$ 5,5 trilhões em 2023) terão um impacto profundo na demanda por embalagens. Além disso, a sustentabilidade e o meio ambiente também são fortes promotores dessa tendência, principalmente porque os consumidores e as empresas desejam ver novas alternativas ecológicas ao plástico.

O especialista da Valmet explica que há uma forte demanda por materiais renováveis à base de fibra para substituir os plásticos. “O futuro parece muito promissor para produtos como papel embalagem e também cartão para o acondicionamento de líquidos. A vantagem é enorme. Por exemplo, a indústria de alimentos está procurando novas maneiras de produzir embalagens neutras em termos de sabor e odor, minimizando ou substituindo por completo a utilização de plástico, ou seja, com impacto ambiental mínimo. As empresas estão dispostas a investir em embalagens biológicas, principalmente porque os consumidores estão esperando cada vez mais por isso. Veremos muitas soluções novas de embalagens no futuro. O poder da inovação é impressionante e parece que quase não existem limites para o que podemos alcançar”, conclui.


Fonte: Celulose Online