Desempenho do mercado de trabalho formal – CAGED dezembro 2021

Saldo de emprego é negativo no Brasil e em Minas Gerais em dezembro, mas encerra o ano de 2021 em campo positivo. No Brasil, o saldo do Caged (contratados – demitidos) foi negativo em 265,8 mil vagas em dezembro, segundo o Ministério do Trabalho e Previdência. O resultado ficou abaixo das expectativas de mercado, de fechamento de 175 mil vagas. Vale ressaltar que, tradicionalmente, dezembro é um mês com redução líquida de vagas, devido à sazonalidade.



Por: Gerência de Economia e Finanças Empresariais - FIEMG


01/02/2022 - No Brasil, o saldo do Caged (contratados – demitidos) foi negativo em 265,8 mil vagas em dezembro, segundo o Ministério do Trabalho e Previdência. O resultado ficou abaixo das expectativas de mercado, de fechamento de 175 mil vagas¹. Vale ressaltar que, tradicionalmente, dezembro é um mês com redução líquida de vagas, devido à sazonalidade.


O setor de serviços (-104,7 mil vagas) destacou-se negativamente, influenciado pelos recuos nos subsetores de educação (-62,5 mil vagas) e de administração pública, defesa e seguridade social (-17,8 mil). Na indústria de transformação (-88,3 mil vagas), os subsetores de alimentos (-13,2 mil vagas), de vestuário e acessórios (-12,7 mil vagas) e de couro e calçados (-11 mil vagas) registraram os maiores recuos. Na construção civil e na agricultura, houve fechamento de 52 mil vagas e de 26,1 mil vagas, respectivamente. No comércio, foram abertas 9 mil vagas em dezembro.


No acumulado do ano, houve a criação de 2,7 milhões de postos de trabalho. No setor de serviços (1,2 milhão), a geração de vagas foi puxada pela maior demanda por serviços de informação, comunicação, administrativos e de saúde humana; no comércio (643,7 mil) e na indústria de transformação (438,9 mil), os saldos foram explicados pelo aumento das demandas interna e externa. Na construção civil (244,8 mil), a geração de vagas foi explicada pelo mercado imobiliário aquecido e, na agricultura (140,9 mil), pela alta nas exportações.


Em Minas Gerais, houve recuo de 22,8 mil postos de trabalho em dezembro. O resultado foi puxado pela construção civil (9,9 mil vagas) e pela indústria de transformação (8,7 mil vagas). Das atividades da indústria de transformação, destacaram-se couro e calçados (-2,3 mil vagas) e vestuário e acessórios (-1,3 mil vagas).


Em 2021 houve a criação de 305,2 mil vagas no estado. O resultado foi influenciado, sobretudo, por serviços (124,1 mil vagas), pelo comércio (68,8 mil vagas), pela indústria de transformação (58,4 mil vagas) e pela construção civil (31,8 mil vagas).


PERSPECTIVAS

Nos próximos meses é esperada uma desaceleração na geração de vagas. Se antes as perdas expressivas no mercado de trabalho, provocadas pelos períodos mais intensos da pandemia, permitiam uma recuperação mais contundente, relacionada ao aumento da mobilidade, agora, a desaceleração da atividade econômica – em meio a inflação e juros elevados – pode reduzir o ritmo de retomada do emprego. Adicionalmente, a partir de dezembro, 1,3 milhão de empregados deixaram a garantia de estabilidade proporcionada pelo BEm, o que poderá contribuir para o aumento de desligamentos no início de 2022.


¹ Estimativa Bloomberg


Fonte: FIEMG