COP-26: Painel “O setor de base florestal e seu papel na bioeconomia”

Na manhã do dia 8/11, o pavilhão Brasileiro abrigou o painel “O setor de base florestal e seu papel na bioeconomia” dos debates intitulados “O futuro verde está no Brasil”. Participaram da conversa Cristiano Teixeira, CEO da Klabin; Walter Schalka, CEO da Suzano; e João Adrien, diretor do Serviço Florestal Brasileiro/MAPA . A condução ficou por conta de Beatriz Milliet, Secretária de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente.Em suas falas os executivos comentaram sobre a importância do setor de árvores cultivadas no País. “Nós somos parte da solução para a questão climática. O setor de base florestal é dos que mais podem ajudar em acelerar o processo de neutralidade de carbono. Somos referência para o mundo em manejo florestal. Isso mostra a eficiência do nosso setor, também para geração de emprego e renda.”, afirmou Teixeira.



11/11/2021 - Na manhã do dia 8/11, o pavilhão Brasileiro abrigou o painel “O setor de base florestal e seu papel na bioeconomia” dos debates intitulados “O futuro verde está no Brasil”. Participaram da conversa Cristiano Teixeira, CEO da Klabin; Walter Schalka, CEO da Suzano; e João Adrien, diretor do Serviço Florestal Brasileiro/MAPA . A condução ficou por conta de Beatriz Milliet, Secretária de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente.


Em suas falas os executivos comentaram sobre a importância do setor de árvores cultivadas no País. “Nós somos parte da solução para a questão climática. O setor de base florestal é dos que mais podem ajudar em acelerar o processo de neutralidade de carbono. Somos referência para o mundo em manejo florestal. Isso mostra a eficiência do nosso setor, também para geração de emprego e renda.”, afirmou Teixeira.


Schalka complementou afirmando que “além de todos os atributos ambientais, é o setor que mais investe no Brasil, com uma balança comercial muita positiva. Tem muito potencial para substituir materiais fósseis a partir da árvores cultivada e podemos prover matéria-prima sustentável a outros segmentos, como segmentos de tecidos, bio-óleos, entre outros. É um setor que tem tudo de bom para poder ser parte da solução do planeta”.


Os CEOs encerraram com suas expectativas para a COP26. “Temos que ter um entendimento global do mercado de carbono por meio do Artigo 6 do Acordo de Paris. Se tivermos isso regulamentado ao final dessa COP, será um sucesso. Outro ponto importante é sobre o financiamento para países em desenvolvimento. Precisamos de ação urgente. É um projeto colaborativo entre todo o planeta. Se andarmos com estas duas questões, teremos dado passos importantes”, afirmou Walter Schalka.


Cristiano Teixeira seguiu a mesmo linha reforçando a importância da transparência nesta regulamentação. “A governança do controle das emissões de carbono tem que ser transparente. A contabilidade daquilo que será retirado da atmosfera tem que ser aderente com a real remoção. Isto é imprescindível para, de fato, sair daqui que pudemos honrar com nosso papel aqui”.


João Adrien encerrou sua participação dizendo que “ o setor de árvores cultivadas fundamental para o Brasil atingir suas NDCs”. Já Betriz Millet deixou a mensagem final de que “não há a menor dúvida que este setor é parte da solução para uma economia verde”.


O evento pode ser assistido na íntegra no vídeo abaixo:




</