top of page

Controle biológico da Bracell reforça atuação sustentável no manejo de pragas

A companhia aposta no controle biológico, utilizando o Manejo Integrado de Pragas (MIP), que consiste em um conjunto de ferramentas para controle de pragas. Comprometida com a sustentabilidade em suas operações, a Bracell, uma das líderes na produção de celulose solúvel, tem investido de forma contínua em pesquisa e desenvolvimento, aplicando alta tecnologia em equilíbrio com o meio ambiente. Nesse sentido, a empresa aposta no controle biológico, utilizando o MIP, que consiste em um conjunto de ferramentas para controle de pragas.



20/07/2023 - Comprometida com a sustentabilidade em suas operações, a Bracell, uma das líderes na produção de celulose solúvel, tem investido de forma contínua em pesquisa e desenvolvimento, aplicando alta tecnologia em equilíbrio com o meio ambiente.


Nesse sentido, a empresa aposta no controle biológico, utilizando o Manejo Integrado de Pragas (MIP), que consiste em um conjunto de ferramentas para controle de pragas (insetos que causam danos econômicos ao agricultor ou à sociedade). Trata-se de uma técnica que utiliza inimigos naturais (outros insetos) e microrganismos (fungos, bactérias ou vírus) que atuam sobre as pragas que precisam ser combatidas nas plantações de eucalipto.


Priorizar o uso de agentes biológicos no controle de pragas é uma tendência mundial, mesmo que os defensivos modernos utilizados atualmente na atividade florestal sejam seguros e não prejudiquem o ambiente, plantas, animais ou pessoas.


Barbara Puretz, pesquisadora Florestal da Bracell São Paulo, explica que o controle biológico utilizado pela companhia é focado no aumento da população de inimigos naturais que já ocorrem naturalmente nas plantações de eucalipto. “Esses insetos e microrganismos já existem, só que em vários casos, a quantidade não é suficiente para controlar uma praga que venha aparecer. Então, na área de Pesquisa & Desenvolvimento Florestal, criamos em laboratório uma grande quantidade de inimigos naturais e, em seguida, liberamos em locais que podem ter problemas com pragas”, contou Puretz.


A técnica consiste em utilizar inimigos naturais (outros insetos) e microrganismos (fungos, bactérias ou vírus) que atuam sobre as pragas que precisam ser combatidas nos plantios de eucalipto.



Segundo Puretz este é um modo seguro, sustentável e que reduz o uso de defensivos. A companhia conta com um corpo técnico que atua na proteção das florestas de eucalipto, desde as mudas até a colheita das árvores adultas, reduzindo potenciais perdas de produtividade. Por meio dos resultados de pesquisas, a equipe aplica técnicas inovadoras, garantindo a manutenção da saúde dos plantios, combatendo pragas como o Psilídeo de Concha, Percevejo Bronzeado, lagartas desfolhadoras, dentre outros.


A Bracell participa ainda de projetos cooperativos na área de pragas e doenças com instituições importantes, como a Universidade Estadual Paulista (UNESP), além de grandes centros de pesquisa, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Floresta) e Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF). Essas ações ajudam a reforçar ainda mais o compromisso da companhia com práticas sustentáveis de manejo do eucalipto.


Fonte: Portal Celulose

bottom of page