Confiança do empresário subiu em 23 de 29 setores da indústria

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) – Resultados Setoriais mostrou avanço. É a primeira vez desde agosto que a maior parte dos setores industriais registra avanço da confiança. O ICEI da Confederação Nacional da Indústria (CNI), avançou em 23 dos 29 setores da indústria analisados em dezembro em relação a novembro de 2021. É a primeira vez desde agosto que a maior parte dos setores industriais registra avanço da confiança. O único setor industrial que registrava falta de confiança em novembro, Produtos de limpeza, perfumaria e higiene pessoal, voltou a ficar confiante em dezembro.



23/12/2021 - O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) – Resultados Setoriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), avançou em 23 dos 29 setores da indústria analisados em dezembro em relação a novembro de 2021. É a primeira vez desde agosto que a maior parte dos setores industriais registra avanço da confiança.

O único setor industrial que registrava falta de confiança em novembro, Produtos de limpeza, perfumaria e higiene pessoal, voltou a ficar confiante em dezembro. Dessa forma, todos os 29 setores industriais analisados em dezembro estão confiantes.

A confiança avançou principalmente nos setores: Bebidas (+7 pontos), Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (+5,9 pontos) e Extração de minerais não metálicos (+5 pontos). Já as maiores quedas de confiança ocorreram nos setores: Produtos de madeira (-4,2 pontos), Calçados e suas partes (-1,1 ponto), Obras de infraestrutura (-0,5 ponto) e Produtos de minerais não metálicos (-0,5 ponto).

O dado positivo apontado pelo ICEI tem mais relação com as expectativas para os próximos seis meses do que com o momento vivido pelo empresário. O indicador de Condições Atuais da Economia Brasileira ficou abaixo de 50 pontos em 25 dos 29 setores pesquisados. O índice varia de 0 a 100, sendo que todos os dados abaixo de 50 pontos indicam percepção de piora da condição atual da economia brasileira na comparação com os últimos seis meses e acima de 50 pontos, percepção de melhora.


ACESSE AQUI a íntegra do estudo.


Fonte: CNI