Caixas de suco recicladas são transformadas em telhas

A marca de bebidas Do Bem está transformando as caixas de suco descartadas em telhas para a construção de casas populares, sedes comunitárias e moradias emergenciais em vários estados do Brasil, entre eles, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Goiáis e Paraná já foram beneficiados. Para cada telha produzida, são necessárias cerca de 1100 caixinhas recicladas. A iniciativa faz parte do programa de compensação ambiental desenvolvido pela startup de sustentabilidade Polen.



27/04/2021 - A marca de bebidas Do Bem está transformando as caixas de suco descartadas em telhas para a construção de casas populares, sedes comunitárias e moradias emergenciais em vários estados do Brasil, entre eles, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Goiáis e Paraná já foram beneficiados. Para cada telha produzida, são necessárias cerca de 1100 caixinhas recicladas.


A iniciativa faz parte do programa de compensação ambiental desenvolvido pela startup de sustentabilidade Polen. “Desenvolvemos um programa personalizado para a Do Bem, com um grande diferencial no modo em que a marca neutraliza os impactos de suas embalagens descartadas: todas as matérias primas provenientes das caixas de suco recicladas, no caso o papel e o polialumínio, estão sendo transformadas em produtos para beneficiar ONGs e instituições, além de ajudar outras iniciativas socioambientais”, explica o CEO da Polen, Renato Paquet.


A meta do projeto, que ganhou o nome de Bagaço, é compensar 100% dos resíduos da produção das embalagens cartonadas assépticas da marca, ou seja, retirar do meio ambiente mais de 1000 toneladas de resíduos produzidas por ano. As embalagens são formadas por papel cartão (75%), alumínio (5%) e plástico (20%).


A produção das casas está a cargo das organizações sociais, Teto e Ecolar, que atuam na construção de moradias sustentáveis em áreas de vulnerabilidade urbana. Por meio da parceria com a ONG Teto, já foram construídos 3 banheiros comunitários, 2 sedes comunitárias, 1 praça comunitária, 1 biblioteca e 18 moradias emergenciais – outras 17 estão em processo de construção. Com a ONG Ecolar, as telhas já produzidas foram utilizadas na construção de 10 casas (8 delas construídas este ano). Novas unidades estão sendo produzidas para contemplar também outros estados do Brasil.


Fonte: Embalagem e Marca