Aprendendo na prática o valor do feedback

A Paraibuna Embalagens tem um programa chamado Academia de Líderes, que tem como objetivo formar os gestores dentro da empresa, de uma forma lúdica, dinâmica e propositiva. Dentro desse projeto há o Cinema Corporativo. Na última edição, o filme escolhido foi o Feitiço do Tempo e o debate foi sobre as fases que o ator passa: percepção, inconsequência, manipulação, envolvimento, empatia, etc. A etapa seguinte é a leitura dinâmica do livro: Preciso saber se estou indo bem, uma história sobre a importância de dar e receber feedback, de Richard L. Williams.



25/03/2021 - A Paraibuna Embalagens tem um programa chamado Academia de Líderes, que tem como objetivo formar os gestores dentro da empresa, de uma forma lúdica, dinâmica e propositiva. Dentro desse projeto há o Cinema Corporativo. Na última edição, o filme escolhido foi o Feitiço do Tempo e o debate foi sobre as fases que o ator passa: percepção, inconsequência, manipulação, envolvimento, empatia, etc.


A etapa seguinte é a leitura dinâmica do livro: Preciso saber se estou indo bem, uma história sobre a importância de dar e receber feedback, de Richard L. Williams. Todos os gestores do programa recebem um livro e precisam ler, analisar alguns pontos, para depois seguir para o debate em grupo. “Sentimos a necessidade de tratar o tema de Feedback. Entendemos que a melhor maneira de gerir uma equipe é reconhecer os acertos, e, juntos, criarmos métodos de corrigir as falhas. É fortalecer a ideia de que um bom gestor é aquele que lidera pelo exemplo. Um feedback bem estruturado é uma ferramenta altamente motivadora. E este é o nosso papel: Fazer do líder um agente transformador em sua equipe, buscando sempre pela excelência”, disse Rafael Zacarias, Analista de Gestão de Pessoas, da Paraibuna Embalagens.


O livro trata sobre a necessidade vital de as pessoas receberem feedback, não só no mundo corporativo, como na vida. Ele ressalta que sem feedback ficamos perdidos e muitas vezes desmotivados e que essa é uma arte que precisa ser treinada e praticada. O autor considera o feedback como nutriente para a mente. “Sem ter essa resposta constante do mundo e das pessoas que estão a nossa volta a gente não consegue viver. Para além do feedback ser uma necessidade profissional, no sentido da avaliação do trabalho do outro, uma das coisas que me chama atenção, é que feedback é uma necessidade vital e psicológica. Sem feedback nenhum de nós teria sido inserido na comunidade humana, não aprenderíamos a falar, a nos comunicar, a dizer o que sentimos, etc”, disse Emílio Amorim, instrutor do Cinema Corporativo.


Em Preciso saber se estou indo bem, há 4 tipos de feedback: O positivo, quando se quer que um comportamento seja repetido; o corretivo, para mudar um comportamento; o insignificante, quando não há clareza e não produz efeitos e o ofensivo, último recurso na tentativa de mudar um comportamento. “É esse conteúdo do livro que vamos discutir e praticar com os gestores para encontrar a melhor forma de dar feedback. Um colaborador ou uma colaboradora sem feedback constante começa a ficar sem referência, fica perdido, e muitas vezes, esses profissionais vão ter um comportamento semelhante ao das crianças, que começam a fazer pirraça e ter comportamentos negativos para chamar atenção”, afirma Emílio.


“Esse projeto visa a prática do nosso valor Estimule o Aprendizado. Acreditamos que juntos, com debate, de forma lúdica e bem compartilhada os ensinamentos se tornam mais eficazes e são melhores absorvidos pelas pessoas. Temos sempre o foco de formar nossos profissionais para que sejam líderes que conduzam a equipe de forma empática, justa, parceira e que motivem pela influência. Sabemos da importância de treinar essa habilidade, que é liderar com propósito e com foco no outro na certeza que só juntos e com direcionamentos corretos teremos sucesso na gestão das pessoas”, concluiu Rita Rievert, Gestora do Setor de Gestão de Pessoas da Paraibuna Embalagens.


Fonte: Paraibuna Embalagens