Starbucks anuncia que abolirá uso dos canudos de plástico

A Starbucks divulgou ontem que vai começar a eliminar o uso de canudos de plástico em seus restaurantes até 2020, dando a ambientalistas uma vitória considerável em sua campanha para convencer os restaurantes a abandonar utensílios de plástico. A rede informou que eliminaria os canudos de plástico descartáveis em todo o mundo em suas 28 mil unidades. Os canudos serão substituídos por novas tampas recicláveis e canudos de materiais alternativos.




10/07/2018 - Nova York (EUA) - A Starbucks, multinacional que teria a maior cadeia de cafeterias do mundo, divulgou ontem que vai começar a eliminar o uso de canudos de plástico em seus restaurantes até 2020, dando a ambientalistas uma vitória considerável em sua campanha para convencer os restaurantes a abandonar utensílios de plástico.


A rede, sediada em Seattle, nos Estados Unidos, informou que eliminaria os canudos de plástico descartáveis em todo o mundo em suas 28 mil unidades. Os canudos serão substituídos por novas tampas recicláveis e canudos de materiais alternativos.


O anúncio foi feito poucos dias depois de sua cidade natal, Seattle, barrar canudos e utensílios de plástico em restaurantes, em meio a um esforço global mais amplo para desencorajar o uso de canudos de plástico e outros plásticos de uso único.


“Para nossos parceiros e clientes, este é um marco significativo para atingir nossa aspiração global de café sustentável, servida aos nossos clientes de formas mais sustentáveis”, considerou o presidente-executivo da Starbucks, Kevin Johnson, em comunicado.


McDonald’s - No mês passado, o McDonald’s, a maior cadeia de restaurantes do mundo, anunciou planos para a transição para canudos de papel em seus restaurantes do Reino Unido e Irlanda, começando em setembro, com conclusão em 2019.


O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente estima que cerca de 8 milhões de toneladas de plástico sejam despejados nos oceanos todos os anos - o equivalente a despejar um caminhão de lixo a cada minuto - matando pássaros e vida marinha e comprometendo o ecossistema oceânico.

Fonte: jornal Diário do Comércio